Não se apavore…. a calma contribui para um bom desempenho!

Tempo de leitura: 2 minutos

Assunto complexos requerem maior preparação. Eu gosto de entender o assunto, eventos na área médica podem ir para qualquer direção, são diversas áreas correlacionadas, por isso meu conselho é: estude, estude e estude!!

Temos que lutar contra o relógio, estudar e nos aprofundarmos nos assuntos e também nos informarmos sobre as pessoas que ministrarão a palestra, nos preparando muitas vezes com escassíssimo tempo. Ou seja, a preparação não se refere somente à temática, à terminologia, e às expressões, mas também à trajetória profissional, à familiarização com a voz do interlocutor (se possível, escutar vídeos de palestras ou encontros anteriores).

O tempo para o intérprete

Já na cabine, para processar a informação e transmiti-la, de novo o tempo, pouco, pouquíssimo tempo, e … concentração total.

Na cabine temos um novo fator: a velocidade da fala do palestrante. Há aqueles que falam sem respirar… mas o intérprete (coitado!!),  precisa passar confiança desde o primeiro momento, pois só assim ganhará a confiança do público.

Assim, podemos concluir que o tempo, ou melhor, o pouco tempo é um fator que determina em grande parte o resultado e a qualidade da interpretação simultânea. Todo tipo de material, programa, nomes dos participantes, documentação referente ao contexto, é importante; somado a tudo isso a interação entre a dupla de intérpretes dará o tom do evento e entregará satisfação total ao cliente! Sim, é possível!

Meg Batalha – Intérprete e tradutora

Contribuição: Cristiana Coimbra e Maria Ines Lozano

Don’t Fret…Calm is the key to a good performance

We love stress.. :)

Complex subjects require better preparation. I like to understand the subject; medical events, for example, can go in any direction and there are many inter-related fields, so my advice is: study, study, study! We have to race against time, study and immerse ourselves in the subject, and get information on the speakers at an event – all in record time. In other words, preparation isn’t connected only to themes, terminologies and expressions, but to the professional background of the speaker and becoming familiar with that person’s voice (if possible, watching videos of past lectures or events).

The Interpreter’s Time …

Now in the booth, time – very little time – is again a factor in processing and delivering all the information, and ….concentration is absolute. In the booth there’s a new variable: the speaker’s speed. There are speakers who race through talks breathlessly..but the interpreter (poor thing) needs to convey firmness from from the very first moment to gain the confidence of the audience.

Oh dear!

So, we can conclude that time, or very little time, is a determining factor in the performance and quality of a simultaneous interpretation. All kinds of materials – programs, the names of participants, contextual documents – are important; in addition, the interaction between the pair of interpreters will set the tone for the event and guarantee the client’s full satisfaction. Yes, it’s possible!

Meg Batalha – Interpreter and Translator

Contributors: Cristiana Coimbra and Maria Ines Lozano

Tradutora:  melissamsouza@globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *