Xmas in the USA

Tempo de leitura: 4 minutos

Xmas Celebration

Originally a celebration with an overtly religious connotation, commemorating the birth of Jesus, the earliest American Christmases were quite simple. They consisted of remembering the story of the Nativity as told in the Gospels, accompanied by the singing of traditional Christmas Carols. The oldest of these were originally Hymns, quite religious in tone, and filled with exhortations to the faithful to be thankful for the birth of the Savior. These celebrations would often be accompanied by a hearty meal of wild turkey, hunted in the nearby woods, or locally produced hams. The house might be decorated with a small pine tree. Pines were chosen as in the frozen Northern Hemisphere winters, these were the only trees that were green! To this day they remain a symbol of Christmas, even here in Brazil where Christmas falls in the middle of the tropical austral summer we frequently see imported varieties of pine being used for Christmas decorations.

Today the American Christmas, or Xmas as it is sometimes called, often bears little relationship to its origins. It is frequently referred to as “The Holiday Season”, and is commemorated by retailers as the peak selling season of the year. Some businesses concentrate fully half of their annual sales in the month of December. The holiday has come to be marked by the purchasing of extravagant gifts, and the use of sometimes “over the top” decorations on houses. Sadly perhaps, the common refrain that Christmas has become too materialistic is most often heard from folks as they stand in line at the Shopping Mall.

Texto de Paul Connolly – tradução do texto para o português:

Originalmente uma celebração de conotação abertamente religiosa, comemorando o nascimento de Jesus, os primeiros natais americanos foram bastante simples. Consistiam em recordar a história daquela noite em Belém conforme os relatos dos Evangelhos, acompanhados pelo canto de tradicionais cânticos de Natal. Os mais antigos deles, verdadeiros hinos, às vezes muito bonitos, eram sempre bastante religiosos e repletos de exortações aos fiéis para agradecer pelo nascimento do Salvador. Essas celebrações eram frequentemente acompanhadas de uma refeição simples de peru selvagem, caçado em alguma floresta nas proximidades, ou presuntos produzidos localmente. A casa poderia ser decorada com um pequeno pinheiro. Os pinheiros eram escolhidos como decoração nos congelantes invernos do hemisfério norte por serem as únicas árvores que permaneciam verdes. Até hoje continuam a ser um símbolo do Natal, mesmo aqui no Brasil, onde o Natal cai no meio do verão austral tropical. Muitas vezes vemos variedades importadas de pinus sendo usadas para decorações de Natal.

Hoje o Natal americano, ou o Xmas, como é às vezes chamado, tem frequentemente pouca relação com a origem da festa. As pessoas se referem a ele muitas vezes como “Festas de Fim de Ano” e é comemorado por varejistas como a melhor época de vendas do ano. Algumas empresas chegam a concentrar metade de suas vendas anuais no mês de dezembro. O feriado chega a ser marcado pela compra de presentes extravagantes e o uso, às vezes, de decorações exageradas nas casas. Infelizmente, talvez, o clichê de que “o Natal tornou-se muito materialista” é várias vezes ouvido justamente entre as pessoas nas filas dos shoppings.

Artigo de: Paul Connolly – Intérprete e tradutor

Intérprete /tradutor experiente, mais de 30 anos de trabalhos em inglês-português. Extensa experiência em organizações americanas e brasileiras me reveste de um conhecimento amplo do vocabulário de negócios, finanças, impostos, software, e assuntos industriais e jurídicos. Tenho inglês americano como primeira língua devido a educação e experiência comercial nos Estados Unidos. Excelente domínio de português e práticas empresariais brasileiras, adquirido nos 34 anos de residência e trabalho no Brasil. CLIENTES RECENTES: Sec. do Tesouro dos EUA Jacob Lew; Min. da Fazenda Guido Mantega; Programa Nações Unidas para o Desenvolvimento e Min. do Meio Ambiente; Diretórias do Postal Bank of Tanzania e do CRDB Bank; Guilherme Afif Domingos,Min. Chefe da Sec. da Micro e Pequena Empresa; Luiz Barreto, presidente da SEBRAE; Michel Temer, Vice-Presidente da Republica; Gastão Vieira, Min. de Turismo; Fernando Haddad, pref. de São Paulo; Banco Mundial/FMI/G-20, Takanobu Ito – CEO, Honda Motors.

Revisão do português:  Cristiana Coimbra – Intérprete e tradutora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *